quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Sem nada

Olhe nos meus olhos mas tente enxergar além do deserto. Injete frieza nas veias, venha descobrir como é ser nublado. Coloque as suas botas de combate, vamos descobrir onde nascem os sonhos. Abrirei a minha alma para que você reconstrua todos os meus espelhos quebrados pelas balas.
E mesmo agora continuamos a nadar nesse infinito gelado....
Quando a muralha impenetrável for violada, estarei esperando você rasgar o seu coração.

E depois de tudo nós caímos.

Nenhum comentário: