terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Ando frágil.
Dá vontade de invadir o quarto da minha mãe, me deitar e pedir pra ela me abraçar até todo medo ir embora.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O amor nos faz querer viver, acho que entendo o porque de eu me sentir tão morta às vezes.

terça-feira, 19 de julho de 2011

"Ainda que dentro de mim as águas apodreçam e se encham de lama e ventos ocasionais depositem peixes mortos pelas margens e todos os avisos se façam presentes nas asas das borboletas e nas folhas dos plátanos que devem estar perdendo folhas lá bem ao sul e ainda que você me sacuda e diga que me ama e que precisa de mim: ainda assim não sentirei o cheiro podre das águas e meus pés não se sujarão na lama e meus olhos não verão as carcaças entreabertas em vermes nas margens, ainda assim eu matarei as borboletas e cuspirei nas folhas amareladas dos plátanos e afastarei você com o gesto mais duro que conseguir e direi duramente que seu amor não me toca nem me comove e que sua precisão de mim não passa de fome e que você me devoraria como eu devoraria você. Ah, se ousássemos."

Caio F. Abreu.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

"A gente finge que arruma o guarda-roupa, arruma o quarto, arruma a bagunça. Tira aquele tanto de coisa que não serve, porque ocupar espaço com coisas velhas não dá. As coisas novas querem entrar, tanta coisa bonita nas lojas por aí. Mas a gente nunca tira tudo. Sempre as esconde aqui, esconde ali, finge para si mesmo que ainda serve. A gente sabe. Que tá curta, pequeno, apertado. É que a gente queria tanto. Tanto. Acredito que arrumar a bagunça da vida é como arrumar a bagunça do quarto. Tirar tudo, rever roupas e sapatos, experimentar e ver o que ainda serve, jogar fora algumas coisas, outras separar para doação. Isso pode servir melhor para outra pessoa. Hora de deixar ir. Alguém precisa mais do que você. Se livrar. Deixar para trás. Algumas coisa não servem mais. Você sabe. Chega. Porque guardar roupa velha dentro da gaveta é como ocupar o coração com alguém que não lhe serve. Perca de espaço, tempo, paciência e sentimento. Tem tanta gente interessante por aí querendo entrar. Deixa. Deixa entrar: na vida, no coração, na cabeça."

Caio F.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Um mês sem você.

I miss you so much I can't hardly stand it.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

My lover's gone.

Não é fácil ficar sem você. Te procurar pela casa e saber que não vou te achar. Depois que você se foi o meu mundo perdeu as cores, ficou em escala de cinza. 
Cada dia é um desafio. Acordar, trabalhar. Viver. (Sobre)viver. Viver tem sido doído. Tenho tentado ocupar a cabeça exaustivamente com tudo que consigo para não ter tempo de sentir essa avalanche que sei que a qualquer hora vai chegar em mim.
Vejo você em todos os lugares em que vou. No meu quarto te vejo deitadinha na minha cama, escuto você andando pela casa, lembro de você enrolada no meu cobertor. De alguma forma tudo o que eu tenho lembra e cheira a você.
Foram mais de 16 anos desde o dia em que eu te escolhi e te trouxe pra casa comigo, e desde aquele dia eu sou completamente apaixonada por você. Você foi o melhor presente que eu já ganhei na vida, e eu repetia isso pra você todos os dias, você sabe, não sabe? A falta que você me faz é grande, e dói. Não sabia que alguma coisa podia doer tanto assim na gente.